Buscar
  • Júlia Neis

Projeto luminotécnico e suas vantagens

Neste texto, te convidamos a conhecer um pouco mais sobre as vantagens de um projeto de iluminação para qualquer ambiente de convívio!


Um projeto luminotécnico é o planejamento da iluminação de ambientes, que utiliza a luz natural e a artificial para iluminá-los de acordo com sua necessidade. Esse projeto é elaborado a partir da análise da função dos espaços, da quantidade de luz necessária para cada cômodo e do cálculo de nível de luminância para maior conforto visual. Para isso, existem diversas tecnologias que permitem uma iluminação correta do ambiente, com base em estudos de luz e de cor que compõem a luminotécnica.


Além de estudar todas as funções do espaço utilizado e observar as cores das paredes, dos pisos e dos móveis, devemos assegurar que a distribuição, a intensidade e o tipo de iluminação sejam baseados nesses três requisitos:

1. Garantia da economia do consumo de energia, utilizando luminárias mais eficientes para o ambiente, sem excesso ou falta de luminosidade.

2. Planejamento de um ambiente iluminado de acordo com as normas técnicas (ABNT NBR ISSO/CIE 8995-1:2013), seguindo as recomendações para maior eficiência do projeto.

3. Entrega estética e funcional ao cliente, tornando o ambiente iluminado mais produtivo para execução de trabalho ou simplesmente mais confortável, com segurança e bem-estar.


Para a tua casa


Tendo em vista que um projeto luminotécnico é essencial para qualquer ambiente de convívio, é importante saber quais as vantagens de tê-lo na tua casa. Em ambientes internos, por exemplo, a partir do planejamento, é possível determinar o tipo de lâmpada ideal para aquele espaço, além da criação de mais ou menos pontos de luz no ambiente. Com isso, uma das grandes vantagens de uma iluminação correta em casa é que a luz pode modelar, ampliar, reduzir ou esconder espaços, influenciando, ainda, no conforto visual e térmico do ambiente. Também não podemos esquecer que as escolhas da lâmpada e da potência da luz influenciam diretamente na sensação que determinado ambiente transmite, fazendo com que as pessoas sintam-se à vontade ou não, no determinado espaço. Agora, no projeto luminotécnico para ambientes externos, o projetista analisa quais os pontos que merecem destaque, como plantas, paredes, pedras e caminhos guiados, com lâmpadas e luminárias específicas, sempre pensando na economia e durabilidade dos materiais.


Assim como o projeto pode ser elaborado do zero, também é possível realizar um trabalho eficiente com o que já foi feito, retirando o que não for necessário e fazendo novas adaptações. É necessário, portanto, que as condições de iluminação do ambiente sejam avaliadas pelos próprios ocupantes e que eles procurem por um profissional, pois muita gente peca pela falta ou o excesso de iluminação direta e pelo o abuso de lâmpadas de luz branca, por exemplo, que são ideais apenas para cômodos que exijam atenção e foco.


Logo, a iluminação do espaço pode ser configurada de acordo com o desejo do cliente, e através de diferentes posicionamentos das lâmpadas é possível deixar um mesmo local com a luz perfeita para um jantar romântico ou para um dia de estudos. Então, o projetista analisa cada situação e ambiente, que pede um tipo de iluminação específica, podendo ser difusa, direta ou indireta.


× ILUMINAÇÃO DIFUSA: modelo de iluminação mais tradicional: a lâmpada ilumina o espaço de maneira uniforme e sem contrastes. É uma luz mais confortável, bastante utilizada em salas, quartos e banheiros. Se você tem um local de estudo em um quarto, pode utilizar também a iluminação direta, como uma luminária de mesa. É aquela que possui uma espécie de filtro ou difusor, geralmente em acrílico, vidro ou tecido. Portanto, é super interessante usar esse tipo de iluminação em conjunto com as demais.


× ILUMINAÇÃO DIRETA: a luz incide diretamente sob algum objeto ou superfície com spots, pendentes ou abajures. Esse tipo é mais visto em escritórios, salas de estudos e home offices, por facilitar a concentração e o uso de computador, mas também pode ser usado na sala para destacar alguma planta, parede ou objeto decorativo.


× ILUMINAÇÃO INDIRETA: muito requisitada pelos brasileiros, a iluminação indireta ocorre quando se utiliza alguma superfície, como sancas de gesso, para rebater o fluxo luminoso, que será refletido pela superfície clara do teto e se espalhará pelo ambiente. Esse efeito também pode ser conseguido por arandelas, spots e até fitas de LED ocultas. Isso nos permite criar ambientes decorativos e mais intimistas e, por isso, é mais utilizada em salas e quartos.

Saiba que existem diversos tipos de lâmpada que são capazes de fornecer diferentes efeitos na tua casa, como as lâmpadas halógenas, que são mais potentes em relação às incandescentes e fornecem uma iluminação direta e focal, com um faixo de luz mais fechado. Elas podem dar destaque a quadros, móveis, texturas de parede e plantas, além de proporcionarem elegância ao objeto ressaltado. Já as lâmpadas e fitas de LED são mais modernas e oferecem mais economia, qualidade e alta duração. Elas convertem energia elétrica diretamente em energia luminosa, por isso sua alta eficiência de iluminação, além de não emitirem calor. Cada vez mais, as luzes de LED são capazes de irradiar diversas temperaturas de cor no IRC (Índice de Reprodução de Cor) e ainda são conhecidas por seu RGB, pelo qual emitem luz colorida.

Com essas lâmpadas ou luminárias específicas, ainda podemos obter efeitos de iluminação dirigida ou focal, como:


× WALL WASHING: efeito de luz que banha a parede. É obtido por luminárias de teto, como spots, dispostas a uma certa distância da parede a receber iluminação. É um efeito que joga com luz e sombra, através de fachos direcionados que varrem o espaço e destacam paredes e volumes. Valoriza detalhes arquitetônicos, cores e texturas. Pode ser usado em exteriores e interiores de projetos comerciais e residenciais.


× WALL GRAZING: efeito de luz que focaliza a extensão da parede. Geralmente é emitido por luminárias de chão, como balizadores, dispostos bem mais próximos da parede. Provoca efeitos de sombra e valoriza texturas, cores e volumes da parede.

Esses tipos de iluminação focal também podem ser obtidos por “Downlight”, em que a luz tem efeito de cima para baixo, feitos por spots de embutir ou de sobrepor, destacando detalhes, ou por “Uplight”, de baixo para cima, por balizadores, projetores ou spots de chão, que dão sensação de mais altura à parede. O efeito de “Downlight” é muito utilizado em espaços internos, gerando aconchego e, em contrapartida, o de “Uplight” é bastante visto em áreas externas, fazendo parte de fachadas e de jardins.

Podemos dizer também que a luz possui uma composição espectral que definirá a sua cor, podendo ser mais fria ou mais quente. A visão humana, então, é capaz de se adaptar às diferenças de temperatura da cor da luz, pois o cérebro às processa e às interpreta: luzes com cores mais suaves tornam-se mais aconchegantes e luzes com tonalidades mais claras tornam-se mais estimulantes. Assim, em escala Kelvin, o ideal é variar a temperatura da luz entre 2700K e 5000K:


× LUZ QUENTE (2500K – 3500K): Aconchegante, é ideal para atividades de relaxamento. Propiciam um clima mais sociável, íntimo e confortável. Por isso, é ideal para quartos, salas, áreas de lazer, recepções e lounges. Além disso, ela harmoniza muito bem com decorações e móveis de tons amadeirados, avermelhados ou amarelados.


× LUZ NEUTRA (4000K – 4500K): Indicada para cozinhas, instalações sanitárias, lavanderias, escritórios, home offices, além dos ambientes de atividades que requerem atenção. É uma luz muito agradável, não agride a visão e consegue harmonizar com qualquer decoração.


× LUZ FRIA (5500K – 6500K): Recomendada para locais onde são executadas tarefas que demandam maior atenção e alerta, como indústrias, clínicas, hospitais, drogarias e ambientes corporativos. Tons de azul, de roxo, de rosa ou de cinza fazem perfeita harmonia com essa temperatura de cor.

Para a tua saúde


Mas, para além de efeitos estéticos, tu sabias que a luz pode interferir no rendimento das nossas atividades diárias, no sono e até mesmo na nossa saúde? O corpo humano é regulado pelo “ciclo circadiano” ou “ritmo biológico”, o qual está diretamente ligado à influência da luz natural e ao ciclo do sol. No início e no fim do dia, o sol proporciona uma luz amarelada que geralmente causa relaxamento e ao longo do dia temos um aumento da temperatura de cor da luz solar, o que aumenta nossa concentração e apura o estado de performance nas atividades. Com base neste estudo, conseguimos manipular a luz artificial, a fim de alcançar o melhor desempenho para cada situação e ambiente.


É importante saber que o rompimento do ciclo circadiano, por exposição a luzes anormais, pode consequentemente fazer com que o funcionamento metabólico do corpo humano sofra distúrbios como resposta à dessincronização de vários processos fisiológicos. Ou seja, se a iluminação do ambiente em que tu moras ou trabalhas está incorreta, ansiedade, estresse, sonolência diurna e menor desempenho no trabalho são alguns dos fatores mais prejudiciais à saúde. Ainda, como somos programados para dormir no escuro, distúrbios do sono, como a insônia, e transtornos produtivos por trabalhar à noite são os mais comuns entre os brasileiros, além de transtornos de humor pela falta de exposição ao sol durante o dia. Isso nos mostra o quão essencial é um projeto que estuda todos esses fatores para o melhor bem-estar e rendimento das pessoas através da luz.


Para a tua empresa


Falando em produtividade, o rendimento dos funcionários de uma empresa é outro tópico super interessante para aprofundarmos o nosso conhecimento sobre luminotécnica. Ainda que pareça algo simples, não são todos os lugares que contam com um bom projeto luminotécnico. Escolher a opção mais adequada para iluminação em empresas pode influenciar na decoração do ambiente e nos gastos, mas principalmente na garantia de melhores condições de trabalho, considerando a saúde, o bem-estar e a produtividade de todos que trabalham nela.


Se tu trabalhas em um escritório, é importante estar atento à sinais que podem indicar a necessidade de ajustes, troca das lâmpadas ou da posição que elas se encontram. Uma das melhores formas de perceber isso é ouvindo as pessoas que trabalham contigo. Procure descobrir como elas estão se sentindo, se estão com a sensação de ter os olhos cansados, se acham a iluminação adequada para cada ambiente, e por aí vai. Qualquer incômodo na visão pode resultar em problemas de saúde e ainda interferir nos níveis de desempenho do indivíduo em decorrência da diminuição do ritmo de tarefas, assim como na elevação dos índices de acidentes do trabalho.


O mais indicado é que os postos de trabalho sejam projetados para se aproveitar ao máximo dessa luz natural, pois ela tem vários efeitos positivos em nosso metabolismo, podendo melhorar estados de humor e até mesmo a qualidade do sono durante a noite. Já com relação à incidência de luz solar, essa deve ser usada de maneira indireta para evitar incômodos como o calor ou atrapalhar o uso dos computadores, se essa luz chegar diretamente na tela, dificultando a visão do funcionário com excesso de brilho. Mas lembre-se de que tanto a falta quanto o excesso de iluminação podem causar um desconforto visual.


A iluminação nesses ambientes corporativos deve ser homogênea e controlada, para que não aconteçam ofuscamentos, sombras e contrastes em excesso. Uma solução para isso é procurar difundir a luz em todo o espaço. Para isso, as lâmpadas de LED são uma boa opção, assim como as luminárias com difusor também ajudam nessa função por fornecerem sensação de amplitude, uniformidade e conforto.

Em termos mais técnicos, é bom considerar lâmpadas com cores mais frias, no tom branco azulado, pois as de cores mais quentes tendem ao relaxamento e sonolência. Luminárias suspensas são ótimas opções para o escritório também, pois deixam o ambiente mais iluminado e menos cansativo. A escolha de cores claras para o teto e para as paredes impacta na clareza de pensamentos e ideias, assim como lâmpadas que são instaladas na mesma distância uniformizam e permitem nitidez para a visão. Por fim, janelas e vidros são muito bem-vindos para o aproveitamento máximo da luz natural.

Atente-se também à iluminação decorativa: o ambiente corporativo merece ser visualmente agradável e que combine com o perfil da empresa. Por isso, procuramos sempre juntar a funcionalidade e a estética para o espaço, pois isso também contribui para um aumento de produtividade, afinal é muito mais prazeroso trabalhar em um local bonito, bem decorado, aconchegante e que nos motive a realizar nossas tarefas, não é mesmo?

Enfim, proporcionar um ambiente de trabalho agradável, seguro e confortável deixa os colaboradores mais satisfeitos, felizes e consequentemente mais produtivos. O bem-estar corporativo já vem sendo considerado uma verdadeira estratégia para empresas que querem criar um diferencial e se destacarem no mercado, e a luz é realmente relevante, visto que a Norma Regulamentadora número 17 (NR-17) exige das empresas responsabilidades relacionadas a ergonomia e, como principal fator, a iluminação correta de seus ambientes.


Tendo em vista todos os benefícios que um projeto luminotécnico pode agregar na tua casa, na tua empresa e até na tua saúde, o que te impede de olhar ao redor e perceber se precisas de uma iluminação correta e bem pensada? Está na hora de inserir um bom projeto luminotécnico na tua vida.


110 visualizações2 comentários

CONTATO

Av. Osvaldo Aranha, 99
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

ejeciv@ejeciv.com.br

Tel/Whatsapp: (51) 98446-5417

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle