Taipa de Pilão em Construções Modernas

June 27, 2019

Contexto Histórico:

 

     A técnica da construção por taipa de pilão não é recente, é milenar. Apesar disso, pouca gente se interessa, e quem procura ainda tem muitas dúvidas sobre seu desempenho. É um método construtivo que consiste em levantar paredes de barro, comprimidas com golpes de pilão entre placas de madeira, além disso, tem a qualidade de isolamento térmico. Existem diversas construções da antiguidade feitas com este método, principalmente na China, onde boa parte de suas famosas Muralhas foi edificada desta maneira. 

                                                                                       

 

 

    No ocidente, esta técnica foi apresentada pelos mouros, e Algarves é um exemplo típico disso.  Atualmente, Estados Unidos, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia e Chile estão retomando a taipa de pilão em suas construções consideradas modernas. Já no Brasil , esta técnica se disseminou a partir da chegada da colonização  portuguesa, pela necessidade de se abrigarem dos perigos da selva e dos índios, e pela fartura de barro, matéria prima para este estilo de construção. Encontramos exemplos de edificação em todo o território nacional, principalmente na região sudeste. Grandes projetos arquitetônicos usaram a técnica e muitos, hoje, são tombados pelo patrimônio histórico. Casos do Pátio do Colégio, Museu de Arte Sacra de São Paulo, Capela Santa Cruz em Campinas, entre outros.

 

 

Taipa de pilão: O que é?

 

     A técnica do uso da taipa de pilão se caracteriza por ser uma edificação em que o solo é o principal material da obra. Importante para fazer uma construção com terra, o solo deve ser estabilizado com materiais aglomerantes e/ou por meio de esforços físicos.  É imprescindível esclarecer que estabilização de solos é uma denominação geral, que pode ser usada por diversas áreas da ciência e terá um sentido específico em cada uma delas. No caso da arquitetura e construção com terra, estabilização de solos significa melhorar os parâmetros de engenharia, principalmente a resistência e a durabilidade do material.

     Existem diversos sistemas construtivos que usam solo estabilizado como material de construção. No Brasil, ao longo de toda sua história, os sistemas construtivos com terra mais usados são adobe, taipa de mão ou pau a pique e taipa de pilão. O uso de cada sistema está diretamente ligado ao tipo de solo disponível e à cultura construtiva de cada região do país. Contudo, qualquer que seja a tipologia da edificação em terra, a característica comum é o uso do solo como o principal material de construção.

A taipa de pilão ou simplesmente “taipa” é um sistema em que a terra é estabilizada por compactação e, na maioria das vezes, com acréscimo de algum aglomerante que melhore as características do material compactado.

 

 

Como funciona o processo de construção?

 

     O processo consiste em peneirar a porção necessária de solo, secá-lo ao ar e misturar, se for o caso, com o aglomerante. Acrescenta-se água à mistura até o ponto ótimo de umidade, coloca-se essa mistura dentro de uma forma reforçada e travada para, finalmente, compactar até a densidade ideal, usando pilões manuais ou, atualmente, compactadores mecânicos (processo propriamente dito).

 

 Sistema de fôrmas treliçadas da TAIPAL Construções em Terra. Paço Imperial – RJ

 

     Descrito de maneira resumida como feito acima, o taipamento  parece procedimento simples, porém não é. Para atingir uma melhor qualidade numa estrutura de taipa, é necessário conhecer o solo usado, os materiais aglomerantes e suas reações com o solo, o traço, a fôrma e o processo de compactação que será empregado. Antes de construir, é necessário analisar as características físicas e químicas do solo, pois elas irão determinar a necessidade de uma correção da curva granulométrica. É preciso saber determinar o tipo e a quantidade do material aglomerante que será usado na estabilização segundo a composição mineralógica do solo. A fôrma, chamada taipal, deve ser altamente resistente, leve e de fácil desmontagem, para que possa ser desmontada sem pancadas ou grandes esforços. Na compactação, deve ser controlada não apenas a umidade, mas também a carga, para que se atinja a compacidade ideal sem danificar a camada anterior da taipa nem sobrecarregar a fôrma. Esses cuidados melhoram a qualidade do elemento construído e aumentam seu desempenho.

 

 

     No restauro, o conhecimento sobre o sistema construtivo, sobre o solo utilizado e sobre o traço com o qual foi feita a mistura precisa ser ainda maior. É indispensável estudar os agentes e as causas do processo de degradação antes de qualquer medida restaurativa. Somente assim, independentemente da escola de restauro adotada no projeto, é que se poderá chegar a bons resultados. Uma ação irresponsável, devido à particularidade da terra, pode causar danos irreparáveis ao monumento.

 

 

Pokara no Tibet é uma estrutura em taipa de pilão. A taipa tem sido popular no Nepal e Tibet por milhares de anos. O gesso é uma técnica de acabamento popular. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

June 18, 2019

May 14, 2019

April 25, 2019

April 18, 2019

February 21, 2019

February 6, 2019

Please reload

Leia também

CONTATO

Av. Osvaldo Aranha, 99
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

ejeciv@ejeciv.com.br

Tel/Whatsapp: (51) 98446-5417

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle